BRASILEIRÃO: São Paulo leva a vaga, Vasco chora a queda e Atlético-MG é o vice

By -

Sao-Paulo-Atletico-MG-Vasco-Montagem 1Sete meses após seu pontapé inicial, o agitado e polêmico Brasileirão de 2015 chegou ao fim neste domingo com quatro equipes chorando de alegria e outras três com lágrimas nos olhos por causa da dor do rebaixamento. O São Paulo, como previsível, conquistou sua vaga à Libertadores após campanha aos trancos e barrancos, o Atlético-MG consolidou sua segunda colocação e o Vasco não buscou o milagre da salvação e, pela terceira vez em oito anos, sente o dissabor de cair à Série B. Acompanham os cariocas o Avaí, o Goiás e o Joinville, lanterna e que já havia caído. Coritiba e Figueirense festejaram, e muito, a permanência na elite.

Com o Corinthians já campeão, as emoções da rodada derradeira estavam voltadas para quem levaria a quarta vaga do Brasileirão na Libertadores – o Palmeiras se garantiu com o título da Copa do Brasil – e quais seriam os outros três rebaixados. Ao São Paulo, um empate valia vaga na América, ao Vasco, apenas um milagre o salvaria além da necessidade de uma vitória.

O time do Morumbi tinha pela frente o desespero do Goiás e a força de 35 mil vozes no Serra Dourada. Mas soube administrar o regulamento e ainda foi além, buscando a vitória por 1 a 0 com gol de Rogério. Nem mesmo a vitória parcial do Inter sobre o Cruzeiro por 2 a 0 chegou a desestabilizar os comandandos de Milton Cruz em Goiânia. Os gaúchos só se garantiriam com derrota tricolor ou desde que fizessem 6 a 0 nos mineiros, algo pouco provável.

O São Paulo se deu ao luxo de esnobar o talento de Alexandre Pato, com contrato vencendo neste fim de ano, e abriu mão de contar com seus serviçoes nesta rodada final.

LÁGRIMAS

O técnico Jorginho não segurou o choro em sua coletiva ao agradecer o apoio do grupo do Vasco. Após péssimo primeiro turno e apenas 13 pontos somados, o clube não conseguiu o milagre da salvação, mas fechou o ano com a certeza que vai voltar logo a elite. O time necessitava de vitória sobre o Coritiba e de uma combinação de resultados para escapar. Apenas empatou, sem gols, reclamou um pênalti não marcado, e viu o oponente comemorar a permanência na elite.

Os cariocas, que queriam estar na pele dos coritibanos no fim do jogo, deixaram o Couto Pereira em silêncio, ordem do chefão Eurico Miranda. Ele é quem falará da queda nesta segunda-feira. Só Jorginho teve autorização para falar do terceiro vexame vascaíno nos últimos oito anos (caiu, também, em 2008 e 2013).

O Avaí, que entrou na rodada fora da zona de rebaixamento e por mais de 70 minutos esteve na elite, chegando a sair na frente com gol de Claudinei, de cabeça, foi ao desespero com o gol de empate de Vágner Love. Sabendo do resultado positivo do rival Figueirense diante do Fluminense, gol de Marcão, não teve forças para buscar a vitória em Itaquera e, um ano após o acesso, está mais uma vez na Série B.

O jogo do Orlando Scarpelli, em Florianópolis, ficou marcado pela estrela do reserva Marcão e pela comemoração da torcida do Fluminense com gol do adversário e com a queda do Vasco. Os tricolores pediram, a todo momento, que sua equipe entregasse o resultado. O 1 a 0, contudo, veio sem maracutaia.

VICE-CAMPEÃO

Depois de falar em campeonato manchado, o segundo lugar era questão de honra ao Atlético-MG. E a confirmação veio com vitória tranquila sobre o Chapecoense, por 3 a 0 no Independência. O Grêmio, que podia roubar a posição do Galo também fez sua parte, com 2 a 0 no Joinville. Gaúchos e o São Paulo terão de encarar um equipe na Pré-Libertadores.

Corinthians, Atlético-MG e Palmeiras entram direto na fase de grupos. O Alviverde, por sinal, chegará à próxima temporada com moral após superar a desconfiança e conquistar, merecidamente, a Copa do Brasil sobre o Santos e ao se despedir com 2 a 1 sobre o Flamengo. Os santistas, de ressaca, fehcam o ano com 5 a 1 no Atlético-PR.

No outro jogo da rodada que pouco valia, o Sport se garantiu na sexta posição e com prêmio de R$ 2,2 milhões da CBF após mandar 1 a 0 na Ponte Preta, gol de Diego Souza.

Avaí, Vasco, Goiás e Joinville se despedem da elite e, lá em meados de maio de 2016, Botafogo, Santa Cruz, Vitória e América-MG se juntam aos outros 16 times que permaneceram na elite e lhes darão as boas-vindas. ESTADÃO

Roberto Brasil