Braga está de olho nos 62% dos eleitores que disseram não à proposta da chapa concorrente

By -

A chapa formada pelos candidatos ao Governo do Amazonas, Eduardo Braga e Marcelo Ramos, estará no segundo turno das eleições suplementares. Com 25,27% dos votos válidos, a coligação “União pelo Amazonas” disputará o pleito, no próximo dia 27 de agosto, de olho nos 62% dos eleitores que rejeitaram a proposta da chapa concorrente.

Após a apuração dos votos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AM), Eduardo e Marcelo concederam coletiva de imprensa na sede do Partido da República (PR), situado na zona Centro-Sul de Manaus.

Na entrevista, Eduardo abordou o desempenho na votação realizada neste domingo (06/08) e falou da perspectiva para o segundo turno. “Agora são apenas duas propostas: uma que precisa de tempo para arrumar a casa e a outra que vai arrumar a vida do povo do Amazonas”, disse.

Eduardo falou para os eleitores que não foram às urnas e para quem votou nos demais candidatos. “Vamos, por meio do nosso programa, alcançar os 62% que disseram não as propostas de Amazonino. Vamos mostrar nossas propostas para merecer que esse eleitor confie e caminhe conosco neste segundo turno”.

O candidato aproveitou para agradecer a seus eleitores e apoiadores. “Eu quero dizer muito obrigado a todos os companheiros que nos apoiaram politicamente e a todos que votaram em nós neste dia. Nossa campanha foi humilde e feita para o povo”, concluiu Eduardo.

Marcelo também agradeceu aos eleitores que votaram no 15 e falou sobre o trabalho que será realizado no segundo turno a fim de divulgar as propostas do Plano de Emergência para tirar o Amazonas da crise.

“Meu sentimento de gratidão ao povo do Amazonas que nos colocou no segundo turno. Agora é uma nova eleição, estamos no zero a zero. A partir de agora não tem como fugir do debate político, é preciso ter propostas que realmente possam tirar o Amazonas da crise. Temos o desfio de virar o jogo na cidade de Manaus. Eu darei o melhor de mim para estar em todos os momentos ao lado do povo”, afirmou Marcelo.

Roberto Brasil