Bibiano aponta incoerências no orçamento da Prefeitura de Manaus para 2017

By -
Ver. Professor Bibiano

Ver. Professor Bibiano

O vereador professor Bibiano Garcia (PT) criticou ontem (23), a proposta de orçamento para 2017 encaminhada à Câmara Municipal de Manaus pelo prefeito Artur Neto (PSDB), que prioriza a área da Propaganda e da Publicidade e a iluminação artística da cidade, e deixa de lado a prevenção aos desastres nas áreas de risco, a inclusão sócio-ambiental, o cooperativismo e os moradores da área rural.

 Para evidenciar “as incoerências” identificadas na proposta do Executivo municipal, Bibiano disse que a Prefeitura de Manaus quer, por exemplo, destinar mais de R$ 48 milhões à iluminação artística da cidade e manutenção do serviço, além de R$ 33,3 milhões à propaganda, e apenas R$ 474 mil para a Defesa Civil do município promover ações de prevenção nas inúmeras áreas de risco da cidade.

 “A Prefeitura de Manaus precisa olhar com mais atenção para as necessidades da nossa cidade e não apenas para os turistas. Temos muita gente vivendo em áreas de risco que precisam contar com apoio do poder público”, afirmou.

 Não dá mais

 Bibiano disse, ainda, que “não dá mais” para o parlamento municipal “concordar com as distorções defendidas pelo chefe do Executivo municipal”, porque tais equívocos agravam a situação dos moradores da periferia.

 Como exemplo citou o fato dos milhares de bueiros que ainda hoje se encontram sem em diversos pontos da cidade, “provando a morte de crianças” e colocando em risco a vida das pessoas.

 De acordo com Bibiano, também não é prioridade da administração municipal o incentivo à autogestão ou desenvolvimento sustentável, contemplada com R$ 18 mil para o exercício de 2017.

 “Também não podemos deixar de destacar a falta de apoio dispensado pela Prefeitura de Manaus à manutenção do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e Sustentável, que deverá ser contemplado com apenas R$ 6 mil”, disse ele.

Mario Dantas