Bebê de 4 meses morre em Manaus e Polícia investiga pai por maus-tratos

By -

A Policia Civil do Amazonas investiga o caso de uma criança de quatro meses, identificada como Lara Caroline Rodrigues da Costa, que morreu no Hospital Pronto Socorro Joãozinho (HPS), na Zona Leste da Capital, na manhã do último sábado (1), após sofrer uma lesão na cabeça.  A mãe do bebê, uma adolescente de 16 anos, que era separada do pai da criança, acusa o pai de ter agredido a menina.

Para a família materna, o bebê foi vítima de maus tratos, após ter ido passar o fim de semana, de 17 a 22 de junho, com o pai, identificado como Janderson Alfaia da Costa, de 27 anos, morador do bairro Coroado.

De acordo com a mãe da criança, ela teria ligado a Janderson, para ir buscar a menina, após vencido o prazo combinado, para que ele ficasse com o bebê, porém, o rapaz pediu para ficar mais dois dias com a menina. A mãe disse à reportagem, não saber que a filha havia sido internada em um hospital.

“Eu recebi uma ligação informando que a minha filha estava no hospital. Quando eu cheguei ao Pronto-Socorro, fui procurar pelo nome dela, mas não havia nenhum registro.  Eu voltei à casa do Janderson e perguntei a ele o que havia acontecido com a minha filha e onde ela estava. Ele disse que a havia internada com o nome de Maria. Após meus questionamentos, ainda me deu dois murros”, contou a adolescente.

Outro lado:

A família de Janderson nega que o bebê tenha sofrido maus tratos. A avó paterna Dalvilene Alfaia disse que o bebê já chegou doente à casa deles, e, ao precisar ser internada, estava sem documentos.

“A bebê já chegou em casa, magra, não queria comer. Ela passou mal e, para receber atendimento médico, tivemos que inventar um nome pra ela”, contou a avó.  A mulher disse ainda que Janderson não poderia falar com a reportagem porque teria viajado. Segundo ela, ele saiu para pescar na ultima sexta-feira (30), no município de São Sebastião do Uatumã.

O sepultamento da criança ocorreu na tarde de ontem (2), no Cemitério do Tarumã.

De acordo com registros do Instituto Médico Legal (IML), a morte da criança foi causada por lesão encefálica por ação contundente.  O Caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

(Com EM TEMPO)

Roberto Brasil