Audiência Publica na Câmara Municipal de Manaus debate Cota Zero e o tucunaré

By -

Da Redação.- Nesta quinta-feira (20) foi realizada audiência pública no plenário da Câmara Municipal de Manaus, através da Comissão do Meio Ambiente, com o tema Cota Zero e Tucunaré para tratar sobre a atividade da pesca e do comércio do peixe tucunaré com o setor pesqueiro. A iniciativa foi do vereador Wallace Oliveira (Podemos) e participaram representantes do IPAAM, Sepror, entre outros.

Na pauta da audiência, diretrizes que estão sendo implementadas pelo Poder Público; a descrição do perfil socioeconômico dos pescadores que frequentam as regiões e qual o nível de conhecimento que eles têm em relação à Cota Zero; práticas de turismo da pesca nas regiões ribeirinhas; as fiscalizações no setor pesqueiro; a atividade da pesca durante o período do defeso; e os impactos oriundos da pesca predatória do tucunaré, que é símbolo da pesca esportiva no Brasil.

O vereador e Presidente da Comissão do Meio Ambiente Recursos Naturais, Sustentabilidade e Vigilância Permanente da Amazônia (COMMARESV), Professor Fransuá (PV) afirmou ser importante a Audiência. “O tema tem relevância na área do turismo e pretende incentivar a pesca esportiva, em Manaus já existe a preocupação, pois foi discutido pelos deputados na Aleam e aqui na CMM estamos iniciando a discussão”, disse.

Incentivo a pesca esportiva

“Estamos convocando esta audiência para falar da pesca esportiva. Falar dos incentivos. Queremos despertar uma nova visão. Um primeiro passo e veremos a sua importância num futuro. Um exemplo desta atividade é o município de Barcelos que conta com infraestrutura para receber turistas da Europa e Ásia. Ainda não temos dados oficiais de quantas pessoas realizam esta atividade, mas sabemos através dos relatos que as pessoas tem um calendário definido e movimentam a economia de forma positiva para o Estado do Amazonas”, informou o vereador Wallace (PTN).

O representante do Instituto de Proteção ambiental do Amazonas, Ocimar Araújo, explicou que toda parte de licenciamentos pertence ao IPAAM. “Viemos participar desta audiência para ver os atores e ver a situação atual da pesca esportiva e Professional. Sabemos que se tem o defeso e num determinado período não se pode pescar o tucunaré. Isto é fiscalizado. Temos conhecimento de infratores que atuam nas regiões e pessoas que dependem desta atividade. Todos os atores envolvidos têm o objetivo da captura do tucunaré e isto deve ser controlado”, finalizou.

Mercedes Guzmán

Roberto Brasil