Audiência Pública debate a reestruturação na saúde

By -

audiencia-publica-saude-blogdafloresta-01Da Redação – Nesta segunda feira (30), no Auditório Belarmino Lins da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), localizado na avenida Mário Ypiranga, Parque Dez, zona centro-sul de Manaus, foi realizada uma Audiência Pública para debater a reestruturação da saúde do Estado do Amazonas. A iniciativa foi da Comissão de Direitos Humanos, dos deputados José Ricardo e Luiz Castro, contando com apoio da deputada Alexandra Campelo e participaram representantes dos Sindicatos dos médicos, dentistas, dos Conselhos estaduais e municipais de saúde, Defensoria Pública, UGT e população em geral.

audiencia-publica-saude-blogdafloresta-02O representante do bairro da Compensa, Odirlei Araújo, disse que estava reclamando o direito à saúde conquistado há mais de trinta anos. “Não queremos o fechamento de Caics nem Caimis. A unidade da Compensa registra 12 mil atendimentos/mês. O próprio sistema de saúde anda no limite e nos perguntamos; se esta assim como irá ficar?”, questionou.

O deputado José Ricardo iniciou a audiência dizendo que o Governador José Melo não é um ditador e por conta disso precisa ouvir os anseios da sociedade. “Corte onde tem de ser cortado, mas não na saúde”, frisou. Explicou que o fechamento de Caics e Caimis, mesmo sendo de responsabilidade municipal, agora irão ter mais dificuldades de atendimento básico para a população por se encontrarem super lotadas.

audiencia-publica-saude-blogdafloresta-03“O governo deve realocar recursos de outras áreas para garantir os serviços de saúde. Outro tema deve ser o combate a sonegação (100 milhões de reais), denúncia que já encaminhada à Controladoria Geral do Estado, bem como foi cobrada da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) uma resposta sobre essas sonegações milionárias”, salientou o deputado petista.

Saúde é prioridade

audiencia-publica-saude-blogdafloresta-04Também presente à audiência, a deputada Alessandra Campelo (PMDB) disse que ainda não foram apresentados dados ou números dos gastos em saúde e de outras setores. “Apesar disso conhecemos as filas de atendimento que os velhinhos têm de enfrentar às quatro horas da manhã. Outro dia visitei a Policlínica do Pan Codajás e verifiquei a falta de remédios para controle da pressão e doenças como a diabetes. Para nós a saúde é prioridade”, disse.

Faltou diálogo com entidades e sociedade

audiencia-publica-saude-blogdafloresta-05O presidente do Sindicato dos Médicos, Mário Viana, disse ser inadmissível que aquilo conseguido com tanta luta (Caics e Caimis) vire uma mágica na matemática. “Por que diminuir as unidades para aumentar o atendimento em saúde? Não houve a discussão necessária com as entidades nem a sociedade. É uma medida antidemocrática”, afirmou.

audiencia-publica-saude-blogdafloresta-06“A principal preocupação dos médicos é que através destas medidas as unidades estarão superlotas, sem ambiente adequado para tratar os pacientes e serão atendidas crianças com mulheres, além de pessoas da terceira idade com outros pacientes”, salientou o representante do Sindicato dos Médicos. (Mercedes Guzmán – Fotos: Áida Fernandes)

Roberto Brasil