Atualização do Plano de Resíduos Sólidos de Manaus é debatida na Câmara

By -

cmm-residuos-solidos-02A atualização do Plano Municipal de Resíduos Sólidos foi debatida ontem (9), durante Audiência Pública, realizada no plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM). O encontro foi presidido pelo líder do governo, vereador Elias Emanuel (PSDB) e contou com a presença do secretário municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), Paulo Farias e representantes dos movimentos de catadores de Manaus, do Ministério Público, vereadores da casa e demais lideranças voltadas para o assunto.

O plano tem vigência de 20 anos e passa por alterações a cada quatro anos para se adaptar à realidade do município. A audiência foi apenas o primeiro encontro que discutiu 19 tópicos como metas de redução de resíduos, diagnóstico da situação, definição de responsabilidades, entre outros. Para o secretário de Limpeza Urbana da capital, Paulo Farias, esse foi o momento de avançar nas discussões. “Essa audiência é o marco zero na discussão, onde poderemos avançar em questões primárias como o aumento da participação da ação de coleta seletiva”.

Um ponto extremamente debatido foi a situação dos catadores. De janeiro a agosto desde ano, mais de 637 mil toneladas de lixo foram coletadas e os movimentos de catadores são os principais parceiros dessa ação. Hoje os catadores possuem sete galpões entregues pela Prefeitura de Manaus e são divididos em dois grupos, o Movimento Nacional e a Rede Cata Amazônia. Para o presidente da Rede em Manaus, Raul Lima, o que falta é a implementação do plano de coleta seletiva.

cmm-residuos-solidos-01“Vivemos hoje do que coletamos, recolhemos para sobreviver e a nossa maior dificuldade é a falta do plano de coleta seletiva. Hoje os resíduos vem todos misturados e isso dificulta demais o nosso serviço”, disse o catador.

Uma coleta seletiva mais eficiente depende da população que ainda não está habituada a separar seus resíduos mas o plano prevê para os catadores a contratação de associações que passarão a realizar para a prefeitura o serviço de coleta seletiva, recebendo então por tonelada coletada.

Para o líder do prefeito e presidente da Comissão de Serviços Públicos, esse primeiro debate tratou de um assunto de total relevância para a população e agora é aguardar a chegada do plano à CMM, para continuar a discussão.

“Esse foi o marco zero nas discussões, a prefeitura tem agora a tarefa da coleta de sugestões para esse importante plano, seguido pelo protagonismo da Câmara Municipal que constituirá uma comissão especial para um novo ciclo de audiências que debaterá o plano”. O parlamentar disse ainda que o mais importante é não ter pressa e ouvir todos os que tem contribuições a dar.

Roberto Brasil