Atentado em parque mata ao menos 69 pessoas no Paquistão

By -
Testemunhas disseram ter visto partes de corpos espalhadas pelo estacionamento do parque quando a poeira baixou após a explosão em Lahore, no Paquistão

Testemunhas disseram ter visto partes de corpos espalhadas pelo estacionamento do parque quando a poeira baixou após a explosão em Lahore, no Paquistão

Um ataque de um homem-bomba suicida neste domingo, 27, matou ao menos 69 pessoas e deixou cerca de 300 feridos, a maioria mulheres e crianças, do lado de fora de um parque público na cidade de Lahore, capital de Punjab, no Paquistão, coração político do primeiro-ministro Nawaz Sharif, disseram representantes do governo e da polícia.

A explosão aconteceu na área de estacionamento, a poucos metros de onde ficam balanços para crianças.

O grupo taleban Jamaat ul Ahrar assumiu a autoria do atentado suicida e afirmou que o objetivo era atingir os cristãos que celebravam a Páscoa. “Assumimos a reponsabilidade pelo ataque contra os cristãos que celebram a Páscoa”, disse o porta-voz do grupo islamista, Ehansullah Ehsan ao diário paquistanês The Express Tribune.

O Paquistão, um país com armas nucleares e 190 milhões de habitantes, enfrenta uma insurgência do grupo taleban, além de gangues criminosas e violência sectária. Punjab é sua maior e mais rica província.

Testemunhas disseram ter visto partes de corpos espalhadas pelo estacionamento quando a poeira baixou após a explosão.

atentado-paquistao-2O parque estava particularmente movimentado no domingo, por causa do fim de semana do feriado de Páscoa. “A maioria dos mortos e feridos eram mulheres e crianças”, disse o superintendente de polícia da região onde fica o parque, Mustansar Feroz.

Em 2014, o Paquistão lançou uma ofensiva contra os taleban e combatentes jihadistas aliados, para evitar que estes criassem refúgios no país para lançar ataques contra o próprio Paquistão ou o Afeganistão.

Punjab tem sido tradicionalmente mais pacífica que outras partes do Paquistão. Mas no ano passado uma bomba matou um popular ministro da província e mais oito pessoas em um ataque contra a casa do ministro na região.

(Com Reuters)

Roberto Brasil