Atendimento com Classificação de Risco em Hospitais de Manaus é discutido em Congresso sobre Trauma

By -

28-AGOSTO-HOSPITALO Atendimento com Classificação de Risco implantado hospital 28 de Agosto e João Lúcio será discutido no 11º Congresso da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT), que acontecerá entre os dias 25 e 27 de setembro, em Manaus. O evento traz uma série de discussões sobre temas relacionados ao Trauma, além da palestra “Atendimento com Classificação de Risco”, onde serão abordados os benefícios para o usuário do Sistema Público de Saúde. O Congresso da Sbait acontecerá pela primeira vez na Região Norte.

A ferramenta utilizada para o Atendimento com Classificação de Risco foi implantada há mais de um ano no hospital 28 de Agosto e, mais recentemente, no hospital João Lúcio. Durante o Congresso, será feito um balanço sobre os relatos de experiência e atendimentos nas duas unidades de saúde da capital.

O processo de classificação de risco compreende a estratificação de risco dos usuários que procuram atendimento nos serviços de Saúde. Na ocasião, o paciente é classificado e recebe uma prioridade que determina o tempo alvo para o primeiro atendimento médico. O processo de classificação de risco será explanado e debatido com os profissionais e estudantes da área de Saúde na palestra prevista para acontecer na próxima sexta-feira (26), das 14h45 às 15h30, proferida pelo palestrante Agnaldo da Costa Júnior.

Na ocasião, os participantes debaterão sobre o funcionamento do Atendimento com Classificação de Risco. Normalmente, esse atendimento é realizado com base em protocolo adotado pela instituição de saúde, representado pela indicação da prioridade de cada paciente.

Segundo dados da cartilha “Acolhimento com Avaliação e Classificação de Risco”, do Ministério da Saúde, a classificação de risco se dá nos seguintes níveis: Vermelho: Prioridade Zero (emergência, necessidade de atendimento imediato); Amarelo: Prioridade 1 (urgência, atendimento o mais rápido possível); Verde: prioridade 2 (prioridade não urgente) e Azul: prioridade 3 (consultas de baixa complexidade, atendimento de acordo com o horário de chegada).

De acordo com a coordenadora local da Comissão de Enfermagem do evento, Gisele Torrente, a palestra tratará exclusivamente sobre o protocolo do atendimento de classificação de risco, juntamente com a apresentação de relatos de experiências em hospitais públicos da capital.

“O acolhimento com classificação de risco é um processo exigido dentro das políticas públicas e para atender a pessoa que precisa de atendimento com urgência, com o objetivo de diminuir filas de espera e dar atenção a quem realmente precisa, mensurando ainda os dados de atendimento”, afirmou Gisele Torrente.

“É importante a população em geral entender como é gerido o atendimento e os profissionais e estudantes da área de Saúde entenderem como eles estão inseridos nesse processo, para nos ajudar a melhorar o atendimento cada vez mais”, completou Gisele.

Os dados de acolhimento serão disponibilizados através dos protocolos de atendimento do hospital 28 de Agosto e João Lúcio.

Roberto Brasil