Assaltos a ônibus registram queda em Manaus

By -

operacao-ssp-1A média mensal de assaltos a ônibus em Manaus caiu nas primeiras três semanas do mês de novembro, comparado com outubro deste ano, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Uma força-tarefa formada pela SSP-AM, Polícia Militar e Polícia Civil está atuando em diversas frentes para coibir esse tipo de crime.

Os dados mostram que em outubro, a média semanal de assalto a ônibus foi de 87 ocorrências. Em novembro, essa média caiu para 34 casos, uma redução de 60%. O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, destaca as ações dos órgãos de segurança para reforçar o policiamento ostensivo e ampliar a discussão do assunto com os demais órgãos responsáveis pelo transporte público em Manaus.

“Estamos com ações em toda cidade de Manaus, com atuação das policias Civil e Militar, além de operações da própria Secretaria de Segurança. Os números ainda precisam diminuir, mas essa redução mostra que as estratégias integradas têm surtido efeito positivo no combate a esse tipo de crime”, disse Fontes.

Desde o mês de julho, a SSP-AM realiza a operação “Transporte Seguro”, com ações voltadas para as áreas com maior incidência de assalto a ônibus. Nesta terça-feira (22) a operação voltou a acontecer, percorrendo terminais de ônibus e plataformas de embarque e desembarque em sete bairros da cidade. A operação já percorreu 21 bairros nos últimos cinco dias.

‘Catraca’ – Paralelo às ações da SSP-AM, a Polícia Militar realiza a Operação “Catraca”, com abordagens móveis e fixas em ônibus e terminais. Somente no final de semana, foram mais de 10 mil abordagens a veículos, entre ônibus, motocicletas, carros e caminhões, e cerca de 20 mil abordagens a pessoas, com 28 prisões em flagrante.

A Polícia Civil também realizou operação de combate a assalto a ônibus nas zonas Norte e Leste da capital. Os trabalhos foram desempenhados pelas equipes do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) nos terminais de ônibus, plataformas, ônibus expresso, paradas de ônibus convencionais e, ainda, nos transportes alternativos.

O secretário de Segurança destacou que as operações terão continuidade em outros bairros, até que os índices diminuam em toda a capital. “Onde verificarmos a necessidade de uma ação mais repressiva, nós iremos reforçar as ações da Polícia. Voltamos a dizer, são ações a curto prazo, precisamos discutir e desenvolver ações que possam resolver o problema  a médio e longo prazo para dar segurança aos usuários do transporte coletivo”, comentou Fontes.

Roberto Brasil