Arthur Bisneto quer informações do corte no plano de investimentos da Eletrobras

By -
Dep. Arthur Bisneto

Dep. Arthur Bisneto

O deputado federal Arthur Virgílio Bisneto (PSDB-AM), vice-líder da Oposição e membro titular da Comissão de Minas e Energia na Câmara Federal, pediu, por meio de requerimentos ao Ministério de Minas e Energia, informações sobre o corte de 17% no plano de investimentos da Eletrobras e o risco, que pode ser assumido pelos consumidores, no déficit na geração de energia hidrelétrica.

A Eletrobras anunciou, de acordo com o jornal Folha de São Paulo, um corte de 17,3% em seu programa de investimentos para os próximos cinco anos. Fora os cortes, a empresa informou que pretende investir R$ 50,3 bilhões entre 2015 e 2019. A maior parte dos investimentos, R$ 50,3 bilhões, será destinada à expansão do parque de geração de energia e das linhas de transmissão. Outros R$ 2,5 bilhões serão gastos com as distribuidoras de energia controladas pela estatal. A modernização dos ativos atuais vai consumir R$ 11 bilhões. Segundo o tucano, a empresa não deu detalhes sobre os projetos, limitando-se a fazer um balanço da execução do planejamento anterior, entre eles, o Plano de Demissão Voluntária e a aquisição de novas concessões de linhas de transmissão. Em 2014, a estatal investiu apenas 78% do previsto, ou seja, R$ 11,4 bilhões.

A outra solicitação diz respeito à matéria publicada no jornal Estadão de que para tentar solucionar o problema do déficit na geração de energia hidrelétrica – o chamado risco hidrológico (GSF), o governo federal propôs aos agentes produtores de eletricidade uma mudança relevante na forma como os momentos de estiagem são enfrentados pelo sistema elétrico brasileiro. Já a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que os técnicos e diretores do órgão regulador detalharam a proposta que transfere o risco dessa falta de energia dos geradores para os consumidores finais a partir de 2017.

Roberto Brasil