Arthur Bisneto cobra explicações do Ministério de Minas e Energia sobre apagões em Boca do Acre

By -
Dep. Arthur Bisneto

Dep. Arthur Bisneto

Falhas cometidas pela empresa Eletrobras Distribuição Amazonas têm prejudicado fortemente e causado danos materiais irreparáveis ao município de Boca do Acre. Diante dos problemas enfrentados pela população da cidade, o deputado federal Arthur Virgílio Bisneto (PSDB-AM) pede explicações ao Ministério de Minas e Energia, no sentido de esclarecer, sobre os constantes apagões ocorridos em Boca do Acre e sobre eventuais indenizações aos prejuízos causados aos moradores do município.

Durante todo o mês de janeiro, Boca do Acre sofreu constantes quedas de energia que prejudicaram a população. Comércio, residências, prédios públicos (inclusive a sede da prefeitura) foram fortemente afetados devido aos desarranjos em geradores defeituosos. Houve uma consequência mais grave: um incêndio de grandes proporções ocorreu em razão da falta de energia. Os problemas persistiram no começo de fevereiro.

“É urgente que sejam tomadas providências para que a sociedade não pague caro por erros provocados pela empresa prestadora de serviço”, argumenta o deputado.

De acordo com a prefeitura de Boca do Acre, as falhas no sistema ocorrem a cada duas horas. É comum as casas ficarem às escuras.  Na madrugada do dia 25 de janeiro, cinco prédios comerciais e três casas residenciais  foram completamente destruídos pelo fogo. O prejuízo é estimado em sete milhões de reais.  De acordo com relatório dos Bombeiros, o fogo pode ter sido causado por um curto-circuito ocasionado pela falta de energia.  Após os apagões,  a volta da energia também tem danificado os aparelhos elétrico e eletrônicos da região. Segundo relatos dos próprios moradores, a população tem se revoltado com os danos.

Em nota, a Eletrobras Distribuição Amazonas admite as falhas nos geradores instalados na usina termelétrica do município, motivado, segundo ela, por falhas internas e curtos na rede. A empresa se comprometeu em substituir os aparelhos avariados.

A Eletrobras, entretanto, não quis se responsabilizar sobre os danos ocorridos como consequência do incêndio.  A concessionária afirma que só seria responsável pelo fornecimento de energia elétrica até o medidor do cliente. A partir de então o compromisso não seria mais dela.

“A questão que se levanta, porém, é que os dissabores ocorridos  em Boca do Acre tiveram como causa os problemas técnicos da Eletrobras Amazonas.  A população prejudicada não pode e não deve ser lesada por erros que não são seus. É preciso que os principais responsáveis indenizem os prejudicados em um prazo mais rápido possível”, afirma Bisneto.

Mario Dantas