Artesanato amazonense deve movimentar até R$ 1 milhão em negócios na VIII Fiam

By -

artesanato-amazonense-fiam-1Biojoias, cestaria, bolsas, cosméticos, objetos decorativos, entre outros produtos feitos com matéria-prima regional como sementes, madeira, fibras de árvores e couro e escama de peixe estão sendo expostos por artesãos do Amazonas no Pavilhão Amazônico da VIII Feira Internacional da Amazônia (Fiam), que acontece até sábado (21 de novembro) no Studio 5 Centro de Convenções.

Segundo o secretário de Estado do Trabalho, Breno Viana Ortiz, a estimativa de volume de negócios somente com artesanato é de cerca de R$ 800 mil a R$ 1 milhão. “A intenção é estimular os artesãos para que eles possam produzir peças de maior qualidade, tenham espaço para comercializar seus produtos e assim gerar renda não só para o artesão em si mas para as comunidades em que eles vivem”, afirmou Breno Ortiz.

artesanato-amazonense-fiam-3No total, 60 artesãos de dez municípios do Estado participam da feira, por meio do Programa do Artesanato Amazonense e dos grupos de Economia Solidária da Secretaria de Estado do Trabalho (Setrab). Além de artesãos de Manaus, participaram também profissionais de Itacoatiara, São Gabriel, Parintins, Maués, Autazes, Urucará, Novo Airão, Barcelos e Manicoré, e 42 são de Manaus.

O presidente da Cooperativa de Artesanato Sustentável do Amazonas (Coopasam), que reúne 208 artesãos, Gumercindo Neto, 59, afirmou  que a participação na feira é importante para divulgar os produtos e fazer contato com clientes. “Nós estamos expondo vários produtos de diversos artesãos de Tefé, Parintins, Novo Airão e São Gabriel da Cachoeira como bolsas de couro de peixe, bijuterias feitas com sementes, biojoias, roupas, entre outros”, afirmou.

artesanato-amazonense-fiam-4A artesã Elcione Martins, 40, que trabalha há 18 anos no ramo com bijuterias feitas com sementes, penas e escamas, também destacou o papel da feira na divulgação do trabalho. “O grande objetivo mesmo é mostrar os nossos produtos para os clientes e fazer contatos. É uma grande vitrine para os artesãos. As pessoas vêm até aqui, olham o nosso trabalho e acabam comprando”, afirmou.

Visita – A coordenadora Nacional do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) da Secretaria de Governo da Presidência da República, Ana Beatriz Ellery, veio a Manaus para se reunir com o secretário estadual do Trabalho, Breno Ortiz, para tratar de ações relativas ao artesanato amazonense, a ampliação das oportunidades de comercialização, e sobre as ações desenvolvimento do planejamento estratégico do PAB no Estado.

“Eu vim conhecer a Fiam e também prestigiar o trabalho desenvolvido pelos artesãos do Amazonas, que é realmente muito rico e muito bonito. Fiquei encantada com a beleza do artesanato regional e acredito que ele tem que ser levado para as feiras nacionais, então nós vamos trabalhar para que isso aconteça”, afirmou.

artesanato-amazonense-fiam-2A coordenadora e o secretário também realizam um encontro, na tarde desta sexta-feira, 20, com 80 artesãos, com representantes da capital e interior, para esclarecer e orientar quanto à Lei 13.180, que Regulamenta a Profissão de Artesão, estabelecendo diretrizes para as políticas públicas de fomento à profissão, instituindo a carteira profissional para a categoria e autorizando o poder Executivo a dar apoio profissional aos artesãos.

Fiam 2015 – A Feira Internacional da Amazônia é realizada pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), com apoio do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), e é considerada o maior evento multisetorial da região Norte do País, onde apresenta todo o potencial que a Zona Franca de Manaus (ZFM) tem, principalmente quando se refere ao desenvolvimento regional. O tema deste ano é “Invista no futuro. Agora”.

A feira apresenta uma ampla programação, atingindo diversos segmentos com destaque para apresentação de novas tecnologias do Polo Industrial de Manaus (PIM), rodadas de negócios, apresentação do espaço amazônico com exposição e comercialização de produtos regionais que mostram um pouco da arte, cultura e criatividade dos artesãos amazonenses e jornadas de seminários científicos.

Roberto Brasil