Arborização: Rotta anuncia meta audaciosa para Manaus

By -

Imagem aérea de Manaus mostra áreas com pouco verde (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)

Da Redação – Na última quinta-feira (30), o prefeito em exercício de Manaus, Marcos Rotta, esteve na solenidade de lançamento regional do IV Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável. Durante seu pronunciamento falou sobre as preocupações ambientais da administração do prefeito Artur Neto e revelou uma meta ousada: transformar Manaus na cidade mais arborizada do Brasil.

“Nós estamos com uma política acertada dentro da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, idealizada pelo prefeito Artur, que é até o final desse ano plantar 25 mil novas mudas de árvores na cidade de Manaus. Nosso objetivo, meu e do Artur, é concorrer com a cidade de Maringá, norte do Paraná, que é o meu estado e uma cidade que eu conheço. Talvez seja a cidade mais arborizada hoje do Brasil”, disse Rotta na fala de abertura do evento.

Pouca arborização

Um estudo realizado recentemente pelo Departamento de Geografia da UFAM revelou que apenas 22% da área territorial urbana de Manaus têm arvores. Um percentual muito baixo para uma cidade equatorial, cujo clima é bastante quente. Goiânia, por exemplo, tem incríveis 89,5%. Das 15 capitais com mais de um milhão de habitantes, Manaus amarga à penúltima colocação na frente apenas de Belém.

“É algo que nós precisamos percorrer. Acho que uma meta sempre motiva muito. Quando estabelecemos uma meta se estabelece números. Dessa forma conseguimos mobilizar o secretariado, a sociedade, o empresariado. Por isso, não tenho dúvida alguma que isso é uma meta que nós precisamos estipular. Fazer um grande evento de lançamento dessa nossa proposta em trazermos a floresta para dentro da cidade de Manaus”, respondeu Rotta em entrevista ao Blog da Floresta.

Ilhas de calor

Hoje, mesmo localizada no coração da Floresta Amazônica, a capital amazonense é uma grande metrópole com urbanização intensa e com uma grande concentração de concreto, o que facilita o surgimento de ilhas de calor. Neste senário uma maior arborização faria grande diferença, garantindo proteção contra ventos, sombreamento, diminuindo a propagação do som e melhorando a qualidade do ar, além de favorecer a recarga hídrica e garantir locais para reprodução de alguns insetos e pássaros que podem ajudar no controle de vetores. (Luciano Farias)

Roberto Brasil