Apreendidas duas toneladas de carvão vegetal em situação irregular

By -

A equipe de investigação da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), sob o comando do delegado Samir Freire, titular da unidade policial, deflagrou na manhã desta quinta-feira, dia 4, por volta das 8h, a segunda fase da operação “Ouro Negro”, que resultou nas apreensões de, aproximadamente, duas toneladas de carvão vegetal sem o Documento de Origem Florestal (DOF). O flagrante ocorreu em uma casa situada na Rua Santa Ana, bairro Jorge Teixeira, zona leste da capital.

De acordo com Samir Freire, ao total foram visitados quatro imóveis, situados em pontos distintos da cidade, onde, segundo delações, estariam sendo vendidos e armazenados carvão vegetal em situação irregular. “Durante a ação nos deslocamos aos endereços informados. Identificamos irregularidades no endereço supracitado. No local, que não possuía autorização de funcionamento, encontramos aproximadamente duas toneladas de carvão vegetal em processo de embalagem para comercialização”, explicou.

A autoridade policial ressaltou, ainda, que todo o material apreendido será doado ao Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, no bairro Lírio do Vale, zona Oeste de Manaus. Freire relatou, também, que o responsável pelo mineral, o autônomo José Romildo da Silva Muniz, 37, foi conduzido até a especializada, onde foram realizados os procedimentos legais. Na unidade policial o infrator assinou Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por manter em depósito, ilegalmente, carvão vegetal. Ao término dos trâmites legais ele foi liberado para responder pelo crime ambiental em liberdade.

‘Ouro Negro’ – A operação tem por finalidade o combate a crimes ambientais. O nome faz alusão a um importante recurso mineral: o carvão. Durante ações realizadas anteriormente já foram apreendidas mais de oito toneladas de carvão e alguns quilos de pescado. Todo material apreendido foi doado, conforme Samir Freire.

Roberto Brasil