Após visita técnica, Comissão de Saúde prepara relatório sobre funcionamento do Sisreg no Amazonas

By -

Manaus-AM, 13/10/215 - Ricardo Nicolau (PSD) realiza visita técnica à Central de Regulação do Amazonas, onde foim recebido pela coodenadora de Maria Artemisa Barbosa (Foto: Hudson fonseca/Aleam)

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) está montando um relatório contendo impressões sobre o funcionamento do Sistema de Regulação, Controle e Avaliação Assistencial (Sisreg) nas redes estadual e municipal de saúde. A iniciativa partiu do presidente da comissão, deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD), que fez visita técnica ao Complexo Regulador do Amazonas, na última terça-feira, 14 de outubro.

 

O deputado levará o material às Secretarias Estadual (Susam) e Municipal (Semsa) de Saúde. Dentre os tópicos a serem abordados estão problemas como as filas de espera para determinadas consultas e exames médicos agendados pelo sistema. No Amazonas, o Sisreg é operado por três centrais de regulação – ambulatorial, internação e alta complexidade – localizadas no Complexo Regulador.

 

13-10-15 VISITA COMPLEXO REGULADOR SISREG - HUDSON FONSECA (6)

Na ocasião, a coordenadora estadual de regulação, Artemisa Barbosa, detalhou as funcionalidades do Sisreg e as etapas do fluxo de atendimento ao usuário. Por dia, são liberadas dez mil autorizações de consultas e exames. Mensalmente, as centrais de regulação autorizam entre 500 e 600 mil procedimentos nas 419 unidades, públicas e privadas, que adotaram o sistema.

 

A abertura de vagas no sistema depende das agendas de trabalho dos médicos, que são repassadas pelos hospitais e policlínicas a cada mês. “Toda oferta de serviço do Sisreg vem de oferta encaminhada pela própria unidade executante. É possível que, em algumas especialidades médicas, a oferta não seja suficiente, gerando filas de espera”, explicou a coordenadora.

 

Analisando o banco de dados do Sisreg, o deputado Ricardo Nicolau constatou que as maiores filas de espera para consultas estão nas especialidades de ortopedia, neurologia, otorrinolaringologia e urologia. No agendamento de exames por meio do sistema, as maiores insuficiências de oferta estão nas vagas de tomografia e de ressonância magnética com sedação.

 

Munido de demandas e informações, Ricardo Nicolau afirmou que o próximo passo da Comissão de Saúde é estudar, junto aos gestores da saúde, soluções para gargalos como as filas de espera. “É preciso que cada unidade utilize o máximo de sua capacidade para, com isso, aumentar a oferta de serviços aos usuários do SUS”, defendeu o presidente da comissão.

 

Sobre o sistema

 

O Sisreg foi desenvolvido pelo Ministério da Saúde para o gerenciamento dos complexos reguladores dos estados e municípios, coordenando o processo de marcação online de exames, consultas e outros procedimentos, desde a atenção básica até a alta complexidade. Foi implantado no Amazonas em 2009 e tem sua gestão compartilhada pela Susam e Semsa.

 

Por se tratar de um sistema nacional, o Sisreg também é administrado pelo Departamento de Informática do SUS (DataSUS). É estabelecido o prazo máximo de 14 dias para as marcações. Concretizado o agendamento da consulta ou exame, o sistema envia mensagem de texto ao usuário com 72 horas de antecedência avisando sobre a data programada.

Mario Dantas