Após estupro de menina, Seap pode proibir visitas de crianças em presídios

By -

O caso ocorreu no CDPM II, no KM 8 da BR-174 (Foto: Reprodução/Facebook)

A Secretaria de Administração Penitenciária do Amazonas (Seap) se pronunciou novamente, neste domingo (30), sobre o caso da menina de 8 anos estuprada dentro do banheiro de uma cela no dentro do Centro de Detenção Provisória Masculino II (CDPM II). O órgão estuda a possibilidade de proibir ou reformular os procedimentos de visita de menores nos presídios do Estado.

O caso está sendo apurado e também foi registrado na Delegacia Especializada em Proteção a Crianças e Adolescentes (Depca). Além do processo administrativo contra o preso José Honilson Félix de Abreu, de 22 anos, que cumpre pena por roubo, a Seap investiga a atuação dos funcionários e agentes penitenciários que trabalharam na unidade na última sexta-feira (28), dia que ocorreu o fato.

Leia também: Criança é estuprada dentro de presídio do AM

“O Estado vai promover a apuração administrativa para que sejam avaliadas formas e mecanismos para evitar que o episódio aconteça novamente. Os procedimentos e projetos serão discutidos pelos setores jurídicos, operacionais e sociais da Seap nos próximos dias. As mudanças serão anunciadas quando forem definidas”.

A secretaria também afirma que “a necessidade de manter vigilância sob a criança é de responsabilidade dos pais”.

Roberto Brasil