Após entrega, T2 funcionará como Estação de Conexão

By -

Estação de Conexão 2-C2. Fotos Arquivo Semcom (1)

A Prefeitura de Manaus vai entregar, na próxima quarta-feira, 31, a Estação de Conexão 2, a C2, na Cachoeirinha, zona Sul. A partir de quinta-feira, 1 de setembro, o espaço, que funcionava antes como Terminal 2, T2, vai funcionar como estação de conexão e a troca de ônibus, sem o pagamento de uma nova passagem, ocorrerá exclusivamente mediante o uso de cartões Passa Fácil. De posse de qualquer um dos cartões – Estudantil, Vale Transporte e Cidadão – os usuários podem utilizar o sistema de integração temporal no intervalo de 120 minutos.

Desta forma, a estação, que antes funcionava como um terminal fechado, onde os usuários realizavam integração física, será aberta e transformada em área de conexão.

Das 59 linhas que anteriormente passavam pelo T2, 24 circularão por fora, nos pontos de parada localizados nas avenidas Carvalho Leal e Itacoatiara, da mesma forma como está funcionando atualmente.

A implantação da estação C2 em substituição ao terminal de integração T2 é indicada como uma das ações (Ação 1.4.3) do programa de reestruturação da rede de transportes coletivo, dentro da diretriz de requalificação do serviço, definida na Lei municipal nº 2.075, de 29 de dezembro de 2015, que instituiu o Plano de Mobilidade Urbana de Manaus (PlanMob). Assim, o funcionamento da estação C2 é uma primeiras ações realizadas pelo munícipio previstas no PlanMob após a sanção da lei municipal da mobilidade.

De acordo com os estudos do PlanMob, dentro do conceito de rede integrada de transportes, o terminal de integração física se aplica aos situados em áreas periféricas, onde existem linhas alimentadoras que cumprem o papel de levar os passageiros dos bairros de origem até o terminal, a partir de onde saem as linhas troncais para acessar as principais regiões da cidade.

O antigo T2 foge desse conceito, visto que ele está localizado em um ponto de passagem das linhas, funcionando, portanto, como um ponto de transferência na área central, permitindo a conexão de deslocamentos para as demais zonas da cidade.

Além disso, a operação da C2 deve incentivar o usuário do transporte coletivo a optar pelo pagamento da passagem utilizando os cartões passa fácil, sendo mais uma das ações indicadas na diretriz de requalificação do transporte.

Conforme demonstrativo de passageiros do sistema do último mês de junho, em Manaus, 48% dos passageiros pagam a tarifa com o cartão. Destes, 20% são do Cartão Estudantil, utilizado para o pagamento da meia-passagem, que não é mais aceita em dinheiro, 25% do Vale-Transporte fornecido como benefício pelo empregador, e apenas 3% do Cartão Cidadão, aquele acessível a qualquer usuário que faça a opção de pagar por meio eletrônico.

O pagamento eletrônico da passagem oferece vantagens não apenas ao usuário que passa a ter o benefício da integração temporal, mas também para todo o sistema de transporte, visto que diminui a circulação de dinheiro dentro do ônibus, o que desfavorece a ocorrência de assaltos e agiliza o embarque, já que não é preciso aguardar o recebimento do troco.

O superintendente municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, destaca que a utilização da integração temporal entre as linhas que utilizavam o antigo T2 já tem sido uma prática dos usuários desde quando o terminal foi interditado para o início das obras de recuperação.

“Como o terminal ficou fechado, as linhas passaram a fazer o embarque e desembarque nas vias do entorno do antigo T2 e os usuários precisaram, desde então, utilizar os cartões para fazer a integração. Então, não é algo novo. O que vai mudar é que os usuários vão poder aguardar os coletivos com comodidade, em um espaço com estrutura totalmente recuperada e não mais nos abrigos provisórios”, explicou.

Mario Dantas