APESAR DE VOCÊ VENCEREMOS

By -

No passado, o canto de protesto era contra a prática da ditadura, que recorria à força das baionetas, violentando o Estado Democrático de Direito, a violação dos direitos humanos e os fundamentos Constitucionais. Contra este estado de coisa, o canto era uníssono – “Apesar de você/ Amanhã há de ser/ Outro dia.” Eles não passaram, mancharam nossa história com sangue, foram condenados a viver e morrer na solidão. No confronto perseguiram e mataram nossas lideranças deixando-nos tristes “Falando de lado/ E olhando pro chão.” Atônito e perplexo, com medo o povo vagava nas ruas e praças buscando respostas que agregassem forças para vencer o medo do apagão democrático, fazendo o dia raiar com liberdade e esperança. A democratização foi uma conquista popular assentada na força do Direito e em respeito aos Poderes Constitucionais. Contudo, o povo brasileiro fora traído por suas lideranças partidárias, que em vez de zelar e cuidar da coisa pública, criando as condições reais e objetivas para o desenvolvimento da nação, resolveu então optar e ficar com os empresários corruptos, realinhando o Estado aos interesses privados para saquear o orçamento público a favor das corporações empresariais e, em contrapartida, engordaram também suas contas bancárias enquanto o povo sofria e sofre nas filas do desemprego, dos hospitais marcado pela ignorância, sem acesso as políticas públicas de qualidade. O abandono e a perversa desigualdade social que assola o nosso País atolado na corrupção, no desgoverno e na subserviência do Congresso Nacional, que em sua maioria, encontra-se a serviço dos interesses do grande capital lameado pela corrosiva conduta da corrupção minando a prática política congressual.

COM A CORDA NO PESCOÇO: O fato    é que a bandidagem política patrocinada pelo PT, o PMDB e os seus comparsas tomaram o país de assalto acelerando o desemprego, a fome e a miséria. Esta gente é tão cruel que além de comer a carne, rói o osso, cuspindo para o povo a sobra da sobra por meio de politicas, que vulgarmente chamamos de babuje, políticas compensatórias de modo eventual. Enquanto isso, os banqueiros, os donos das construtoras e a bandidagem política acumula riqueza por meio de milionárias propinas e caixa 2. Ricos e poderosos estes políticos corruptos riem da cara do povo e negam cinicamente dizendo que nada sabiam e fazem de tudo para se vitimizar nos meios de comunicação na expectativa de merecer do povo o seu perdão e quem sabe ainda voltar ao poder como “salvador da pátria” para desgraça de todos (as).

ONDE VÃO SE ESCONDER: O povo com a corda no pescoço dá sinal de revolta e indignação. As manifestações de rua começam a engrossar o caldo ganhando corpo contra o Governo Temer e o próprio Congresso Nacional manchado pela corrupção, com rabo preso na Lava Jato. Assim sendo, o Governo Temer e a maioria do parlamento nacional não tem legitimidade para votar as medidas que tramitam no Congresso e o povo que se encontrava indiferente acorda e parte para as ruas manifestando-se contra a Terceirização, as Reformas Trabalhistas e Previdenciárias, posicionando-se contrário ao Governo Temer e seus comparsas que além de tramar contra os trabalhadores posam de honestos frente aos holofotes com cara de paisagem. O cinismo destes picaretas é provocador e requer da nossa gente resposta imediata dando um basta a toda roubalheira tanto no Planalto como nas Ribeiras do nosso Rio Negro. A euforia popular cresce ganha forma de protesto e chegará o dia que nada, absolutamente nada, será capaz de conter o grito popular nas ruas e nas urnas em defesa do trabalho digno com oportunidade para todos (as), resgatando os trabalhadores do desemprego e da peste social disseminada pelo Governo Temer, coragem Brasil, eles não passarão.

Roberto Brasil