Amigos Solidários realiza ação social no Parque das Garças II

By -

amigos-solidarios-parque-das-gracas-bdf 01Da Redação – Nesta sexta feira (03), os Amigos Solidários realizaram uma ação social na Igreja Assembleia de Deus na Rua Erva Sereno, 255, Parque das Garças II, Novo Aleixo, zona norte, em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh). Foram disponibilizados serviços para o registro: cadastro único (bolsa família), embelezamento, consultas jurídica e psicológica, os moradores reclamaram da falta de uma escola, UBS e mais uma linha de ônibus.

amigos-solidarios-parque-das-gracas-bdf 02A coordenadora dos Amigos Solidários, Rosa Alice Nobre, agradeceu a todos os profissionais voluntários por dedicar seu tempo em beneficio de outras pessoas. Serviços de corte de cabelo, design de sobrancelhas, maquiagem, massoterapia, entre  outros foram disponibilizados. Participaram as empresas Mari Kay e Vawt’s Life.

Falta escola e UBS

amigos-solidarios-parque-das-gracas-bdf 03O presidente da Associação de moradores da comunidade, Sebastião Nascimento, disse que várias são as demandas da população. “As ruas são escuras, falta iluminação, mas o principal problema é a falta de mais linhas de ônibus. Apenas contamos com uma que atende a mais de cinco mil famílias. Outro problema é o lixo. O coletor passa a cada dois dias. Não temos também segurança. A gente tem que torcer para passar um carro da Ronda no Bairro”, afirmou.

amigos-solidarios-parque-das-gracas-bdf 04“A construção de uma UBS é uma necessidade, pois as pessoas tem de acudir a outros postos de saúde e não atendem a gente da forma que se precisa. Na  área da educação estamos desassistidos, pois não contamos com uma escola ou colégio. Apenas uma creche está sendo construída e não sabemos quando será entregue. Também não temos uma quadra esportiva nem praça para praticar esporte ou lazer”, salientou o representante da Parque das Garças II.

amigos-solidarios-parque-das-gracas-bdf 05Matilde Saraiva, moradora há oito anos na comunidade, disse que as crianças e jovens tem de andar muito para estudar em outras comunidades distantes. “Também falta uma casinha de saúde para quando as pessoas adoecerem terem onde ir. Aqui tem muito roubo e assalto, pois não há segurança nenhuma”, finalizou. (Texto e Fotos: Mercedes Guzmán)

Roberto Brasil