Amazonense vai comandar a Confederação Nacional dos Pescadores

By -
Walzenir Falcão vai assumir a vaga deixada por Eliane Morais, falecida a cerca de doze dias

Walzenir Falcão vai assumir a vaga deixada por Eliane Morais, falecida a cerca de doze dias

A Confederação Nacional dos Pescadores e Aquicultores (CNPA) realiza nesta terça-feira (18), em Brasília, a posse de seu novo presidente, o amazonense Walzenir Falcão.

Ele tomará posse da CNPA após a morte da ex presidente da Confederação, Eliane Morais, ocorrida há 12 dias, na cidade de Maceió. Walzenir era vice presidente da CNPA, e agora assume a Confederação com a missão de defender os trabalhadores da pesca de todo País.

Entre as primeiras ações de Walzenir à frente da Confederação está a reunião com representantes do Governo Federal na área de Pesca e Aquicultura. A reunião deve acontecer na próxima semana, quando Walzenir vai expor as falhas em dois decretos presidenciais que tratam da pesca e do seguro defeso.

Segundo Walzenir, o Governo Federal quer criar a classificação Pesca Alternativa, na qual seriam incluídos milhares de pescadores de todo País. A nova classificação manteria o calendário do período do defeso, quando várias espécies de peixes ficam proibidas de serem capturadas. O problema é que, de acordo com a nova classificação, milhares de pescadores perderiam o direito de receber o seguro defeso.

O decreto está sendo elaborado pelo Ministério do Planejamento e Economia, e vai de encontro à lei federal que regulamenta o seguro defeso e a pesca profissional em todo País. “Teremos uma grande luta para evitar que o decreto do governo Temer, criando a Pesca Alternativa, seja aprovado e prejudique pescadores do Amazonas e de todo Brasil”, antecipa Falcão.

Para garantir apoio de deputados federais e senadores à causa dos pescadores, a Confederação Nacional dos Pescadores realiza na quinta-feira (20), reunião com o presidente da Frente Parlamentar da Pesca no Congresso Nacional, deputado Kleber Verde (PRB-MA). O objetivo é expor o problema ao deputado, que abrirá caminho no Congresso Nacional para os pescadores manterem os benefícios assegurados por lei.

Roberto Brasil