Amazonense Raymison Formiga alimenta “Sonho de Samurai” no MMA

By -
Raymison é o atual número 1 do Brasil e oitavo do mundo na categoria palha

Raymison é o atual número 1 do Brasil e oitavo do mundo na categoria palha

Ele já dormiu no tatame da academia; viu a mãe ir embora para a Espanha e o pai largar a família; a avó, com quem morava, faleceu. O lutador amazonense Raymison Bruno, o “Formiga”, no entanto, jamais desistiu da luta e hoje vem dando a volta por cima no mundo das Artes Marciais Mistas (MMA). No dia 5 de julho, ele terá o maior desafio de sua vida esportiva: subir ao octógono do Pancrase, um dos eventos mais tradicionais de Tóquio, no Japão.

 

“Lutar no Japão, que é o berço das artes marciais, é o sonho de todo atleta. Vou lá para mostrar a força do MMA do Amazonas e do Brasil. Agora, para tornar esse sonho uma realidade, estou correndo atrás de patrocínio para custear a passagem que custa aproximadamente R$ 4 mil. Não posso perder essa oportunidade e peço ajuda do Governo do Estado, da Prefeitura de Manaus e da iniciativa privada”, ressalta Formiga, dono de um incrível cartel de sete vitórias consecutivas.

 

lutador-mma-formiga-02Aos 23 anos, Raymison é o atual número 1 do Brasil e oitavo do mundo na categoria palha (até 52 kg). Ele começou a carreira em Manaus na academia Champ’s Factory Team, a CFT do conjunto Eldorado, liderada pelo professor Emerson Sotello. “Desde moleque ele mostrou que era um atleta diferenciado. Foi campeão de tudo no jiu-jítsu e hoje é um dos melhores lutadores do planeta no peso palha. É um guerreiro”, elogia o mestre.

 

Formiga mora atualmente em Curitiba, onde treina academia CM System, do mestre Cristiano Marcelo. Por lá, o amazonense faixa marrom de jiu-jítsu busca o aprimoramento nas técnicas de muay thai, wrestling e MMA junto com atletas de renome, inclusive do UFC.

 

De passagem por Manaus até a próxima segunda-feira, 1 de junho, ele Formiga lembrou emocionado do drama no início da carreira. “Pensei em desistir porque praticamente perdi a minha família e restou morar e dormir na academia. Só não parei porque acredito muito no meu potencial e sonho em lutar num grande evento, como o UFC ou o One Fight”.

Roberto Brasil