Amazonas participa de Campanha de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e intensifica combate a este crime

By -
Nesses locais, é feito o atendimento direto da população, afirmou Graça Prola

Nesses locais, é feito o atendimento direto da população, afirmou Graça Prola

Nesta terça-feira, 28 de julho, durante a abertura da Campanha Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Atenção aos Refugiados e Migrantes no Amazonas, a secretária de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Graça Prola, afirmou que o Amazonas tem intensificado o combate ao tráfico de pessoas por meio de uma rede de serviços, que conta com o Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, com nove postos avançados nos municípios do interior e três em Manaus.

“Nesses locais, é feito o atendimento direto da população, tanto migrante quando população de rua e vítimas de exploração sexual. Dentro deles, nós temos indícios de situação de tráfico, seja para adoção ilegal, trabalho escravo, casamento servil ou outras formas de exploração que nós encaminhamos para a Polícia Federal ou para a Polícia Civil”, afirmou a secretária.

A abertura do evento aconteceu no auditório da sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AM), onde também foi realizado um clico de palestras. Às 18h, prédios históricos da cidade, como Teatro Amazonas, Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Palacete Provincial, além da Sejusc e da OAB/AM, serão iluminados na cor azul, símbolo da campanha.

De 2011 a 2014 foram registrados 20 casos de tráfico de pessoas no Amazonas, sendo 18 para fins de exploração sexual e dois para trabalho escravo. Este ano, até agora, houve uma denúncia. “Nós sabemos que esses dados não refletem a realidade, pois a maioria das vítimas não denuncia por medo”, explicou Graça Prola.

Segundo a secretária, o Amazonas é rota do tráfico internacional de pessoas para países como Venezuela, Suriname, Espanha, Portugal, Suíça e Holanda. Ela afirmou ainda que o sistema de repressão pequeno no controle dos aeroportos e portos, a grande vulnerabilidade social e econômica das vítimas e a busca por novas oportunidades e condições de vida são os principais fatores que dificultam o combate mais eficaz ao tráfico de pessoas.

Campanha – No Amazonas, a campanha está sendo realizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), em parceria com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AM), e segue até sexta-feira, 31 de julho, em Manaus.

A programação faz parte da campanha nacional “Coração Azul contra o Tráfico de Pessoas”, do Ministério da Justiça e acontece simultaneamente com outros Estados da Federação. O evento conta também com o apoio do Comitê Intersetorial de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Atenção aos Migrantes e Refugiados do Amazonas.

Nesta quarta, 29, e quinta-feira, 30, das 8h às 17h, também vão ser realizadas abordagens educativas simultâneas em vários pontos de Manaus, como aeroporto, rodoviária, Porto do Ceasa, Posto de fiscalização da AM-010 e porto da Manaus Moderna.

campanha-sejusc-trafico-humano-2Reflexão – De amanhã até sexta-feira, das 10h às 3h, a exposição temática “Liberdade Não se Compra” será realizada no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. Uma caixa de madeira simulando uma “gaiola” medindo 65cm³, adesivada com a imagem de uma mulher aprisionada ficará circulando nas esteiras de bagagens nos horários de pico de passageiros no Aeroporto (das 10h às 15h e das 22h às 3h). A ideia é causar impacto nas pessoas que chegam ao aeroporto e gerar reflexão sobre o tema.

Uma outra “gaiola”, com dimensões de 2,5 x 2,5 ficará no saguão de desembarque para que o público entre na caixa e conheça algumas histórias de pessoas que foram vítimas do tráfico. “Essa gaiola é uma espécie de galeria, na qual os visitantes poderão ler e observar o material temático que vai estar dentro e fora da caixa”, comenta Prola.

Denúncia – Existem vários canais de denúncia, inclusive, internacionais. Os gratuitos são os disque 100, 180 e 181. O fixo de Manaus é (92) 3632-0554 e os do exterior são 900 990 055 (Espanha), 800 800 550 (Portugal) e 800 172 211 (Itália). Nos três últimos, o código 61 3799 0180 deve ser informado. Para denúncias por e-mail é netp.amazonas@amazonas.am.gov.br.

Roberto Brasil