Amazonas e Paraguai discutem ações para o fortalecimento de parques industriais

By -

Troca de informações acerca de política industrial pontuaram o encontro do secretário de Estado de Planejamento e Desenvolvimento, José Jorge do Nascimento Júnior, com o secretário executivo do Conselho Nacional de Indústrias Maquilladoras para Exportação do Paraguai, Ernesto Paredes, em agenda paralela durante a primeira reunião anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento, que acontece em Assunção. Um novo encontro foi agendado para maio, para aprofundar as relações bilaterais entre os Amazonas e o Paraguai sobre possíveis modelos de negócios complementares.

Segundo o secretário José Jorge do Nascimento, há convergências de interesses que podem ser convertidas em novas oportunidades de negócios envolvendo empresas instaladas na Zona Franca de Manaus e  o parque industrial paraguaio.

O Governo do país vizinho tem uma política agressiva de captação de novos investimentos mas tem foco no setor têxtil, observou o secretário. “Houve um entendimento de que deve haver um ganha-ganha. Temos parques industriais com investimentos concretizados e devemos  assegurar a manutenção desses investimentos. Mas há espaço para que todos saiam ganhando”, resumiu José Jorge.

O diretor de Investimentos do Ministério da Indústria do Paraguai disse que a economia paraguaia avança com o crescimento da economia do Brasil, logo não há interesse em prejudicar. “A ideia é: se a indústria brasileira cresce, a indústria paraguaia também pode crescer e é nesse sentido que temos que atuar”, acrescentou.

Segundo Paredes, com uma população de seis milhões de habitantes e um polo industrial em desenvolvimento o Paraguai busca sinergia.

O Conselho Nacional de Indústrias Maquilladoras é uma representação equivalente a da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), mas com abrangência nacional. Durante o encontro, do qual também participou o secretário executivo da Receita, Hisashi Toyoda, a secretária da Representação do Amazonas em Brasília, Nafice Bacry, e o presidente da Afeam, Alex Gligio, o secretário Ernesto Paredes fez questão de mostrar toda a estrutura de funcionamento do parque industrial local e detalhes sobre o funcionamento das Maquilladoras.

Estrutura tributária – Na troca de informações sobre a política industrial dois dois países chamou a atenção a simplificação de processos e procedimentos da estrutura tributária e operacional da indústria paraguaia, destacou José Jorge. “Temos que seguir o exemplo dos paraguaio no que diz respeito à agilidade nos procedimentos, garantindo às empresas maior competitividade. Isso contempla a orientação do governador José Melo de impor mais celeridade tanto na aprovação e concessão de incentivos quanto no acompanhamento dos projetos das empresas comparado ao que é hoje”, ressaltou.

O secretário José Jorge também apresentou as linhas gerais da  política industrial da ZFM, com incentivos fiscais na esfera estadual e federal com destaque para a segurança jurídica de que gozam as indústrias instaladas no Amazonas, uma vez que os benefícios estão resguardados em lei e foram prorrogados por mais 50 anos.

Ficou acertada uma nova missão ao Paraguai para detalhar a estrutura proposta quanto a logística para o acesso ao Pacífico via Chile e Argentina. Nessa futura agenda também será aprofundado o compartilhamento de informações e conhecimento da política paraguaia de fomento em suas áreas de fronteira como forma de viabilizar novos negócios. Para o diretor do Ministério da Indústria do Paraguai, Carlos Astigarraga, o objetivo e crescer em conjunto com seus parceiros.

BID – Aberta à tarde, a reunião anual do BID prossegue até o dia 2 de abril com uma pauta que inclui discussões sobre desenvolvimento, comércio e investimentos para a América Latina.

Roberto Brasil