Álvaro Campelo discute propostas de local da Feira de Artesanato Indígena

By -

Álvaro Campelo esteve reunido com lideranças indígenas e representantes de secretarias municipais para discutirem o assunto – Foto: Roberval Rocha

O vereador Álvaro Campelo (PP) reuniu mais uma vez as lideranças indígenas e representantes da Secretaria Municipal do Centro Histórico (Subsench); Secretaria Municipal de Parcerias e Negócios Estratégicos (Semppe) e do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), para tratar das alternativas de instalação da Feira de Artesanato Indígena em outros locais da cidade, além da Ponta Negra.

As várias indicações foram postas à mesa para análise das autoridades do município, todas passando por um médio processo de planejamento e execução, até a entrega para exploração comercial, como o pretendido pelas lideranças indígenas. A reunião ocorreu, na manhã desta sexta-feira, na sala das Comissões da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

“Neste encontro houve um grande avanço nas tratativas, que agora apontam para outras opções, além do local inicialmente proposto, que seria a Ponta Negra”, disse Álvaro Campelo.

Áreas como os quiosques do porto do bairro São Raimundo, Zona Oeste, e prédios públicos em vários pontos da cidade foram indicadas pelos líderes indígenas Francisco Alves da Silva, Alaelson Ribeiro de Matos, Orlandino Melqueiro da Silva, Amarildo Francisco Caldas Machado e José Augusto Alves dos Santos.

O poder público municipal ponderou que o local que poderá vir a abrigar a Feira do Artesanato Indígena de Manaus, deverá atender a uma série de condicionantes que passam por permanente possibilidade de comercialização, acesso facilitado para turistas e população local e vários fatores que devem integrar um processo como o modelo proposto exige, além da necessidade de definição sobre a quem caberá à responsabilidade de administrar o empreendimento.

Participaram da reunião o Subsecretario da Subsench, Perseverando da Trindade Garcia Filho; o vice-presidente do Implurb, Telamon Barbosa Firmino Neto; Glaudo Francesco Luzeiro, da Semppe e Maria Cristina Venceslau, da Semtrad.

Manaus possui uma população indígena estimada em 40 mil famílias, segundo informações das lideranças que representam a União Indígena de Coari, o Movimento de Resistência dos Povos Indígenas da Amazônia e a Associação das Comunidades Indígenas. Espalhados pelo interior amazonense estariam cerca de 300 mil índios, segundo as entidades.

Roberto Brasil