Aleam homenageia 49 anos de atuação do Rotary Club Manaus-Adrianópolis

By -

Organização filantrópica desenvolve trabalhos sociais na capital e interior desde a década de 1960 – Foto: Alberto Carlos Araújo

Por iniciativa do deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD), a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) homenageou em Sessão Especial da manhã desta terça-feira, 10 de abril, o Rotary Club Manaus-Adrianópolis por seu 49º aniversário de fundação. O evento, realizado no Plenário Ruy Araújo, reuniu membros da organização filantrópica, parlamentares e autoridades locais.

O Rotary Club Manaus-Adrianópolis é sociedade civil sem fins lucrativos que, por meio de seus associados, os chamados rotarianos, promovem trabalhos sociais voluntários nas diversas áreas desde o ano 1969. A organização é vinculada ao Rotary International, fundada há 113 anos nos Estados Unidos, que possui mais de 1,2 milhão de membros ativos em todo o mundo.

Na abertura da sessão, que foi presidida pelo 2º vice-presidente da Aleam, deputado Belarmino Lins (PP), o deputado RicardoNicolau destacou os pilares que norteiam a filosofia rotariana. “Servir ao próximo e promover a paz deveriam ser obrigações de todos nós, na vida. O trabalho voluntário do Rotary mostra que não é preciso estar num cargo público para ajudar a desenvolver as políticas públicas”, salientou.

Citando projetos humanitários promovidos em Manaus e o empenho do Rotary na luta contra a poliomielite em nível global, o parlamentar convocou o poder público a aproveitar o ‘know-how’ da organização em ações conjuntas. “A Susam, por exemplo, poderia criar um conselho e aproveitar a experiência de rotarianos com conhecimento na área da saúde para ajudar. Tenho certeza de que muitos se disporiam de forma voluntária”, defendeu. 

Trabalho social – A presidente do Rotary Club Manaus-Adrianópolis, advogada Luce Elaine de Andrade, agradeceu a homenagem em nome de seus 27 associados. Segundo ela, o Amazonas conta com cinco clubes ao todo (quatro em na capital e um no interior), mais um clube de senhoras e outro formado apenas por jovens. No Brasil, já existem mais de 53,5 mil rotarianos.

“O nosso trabalho é fruto de união e muito amor por servir ao próximo. Somos uma ‘gota d’água’ nessa imensidão do Amazonas, mas sei que a nossa parcela de contribuição representa muito para as pessoas beneficiadas e para o Rotary como um todo. Estamos muito felizes e orgulhosos por receber o reconhecimento da Assembleia Legislativa, graças à iniciativa do deputadoRicardo Nicolau”, afirmou Luce Elaine.

Na gestão da advogada (biênio 2017-2018), o Rotary Club Manaus-Adrianópolis teve como destaque a participação, em conjunto com parceiros, na doação de cestas básicas aos imigrantes venezuelanos. Os membros também entregaram kits de produtos de higiene para a Casa do Idoso São Vicente de Paula, no bairro São Raimundo. No interior, houve distribuição de material escolar para comunidades de Iranduba (município a 27 km de Manaus).

Na ocasião, o deputado Ricardo Nicolau também foi homenageado pelos membros da instituição filantrópica com o Diploma de Reconhecimento “Ideal de Servir”.

A Sessão Especial contou com a participação do deputado estadual José Ricardo (PT), que discursou em nome dos 24 parlamentares; do ex-deputado federal Luiz Fernando Nicolau; do governador assistente para os Rotary Clubs de Manaus, Gerson Aoki; do presidente da Rotary Club Manaus, Evander Zanoli; além dos demais representantes da organização filantrópica, da Prefeitura de Manaus e do Governo do Estado. 

Sobre o Rotary – O Rotary International é uma rede global de voluntários unidos a fim de prestar serviços humanitários, promover valores éticos e a paz em nível internacional. Foi fundada em 1905, em Chicago (EUA), pelo advogado Paul Harris. O nome “Rotary” surgiu da prática inicial de fazer o rodízio das reuniões entre os escritórios de cada associado. Em todo o mundo, a organização já possui mais de 1,2 milhão de associados.

Um dos destaques da trajetória do Rotary é a luta pela erradicação da poliomielite em 1979, iniciada com um projeto para imunizar seis milhões crianças nas Filipinas. Com o apoio de parceiros, a organização ajudou a imunizar mais de 2,5 bilhões de crianças contra a paralisia infantil em 122 países, o que representou uma redução de 99,9% no número de casos mundiais. Hoje, apenas três países continuam endêmicos.

Roberto Brasil