Ajudante de pedreiro é preso por ameaçar e agredir a mãe e a irmã

By -
As vítimas já tinham registrado dois BOs contra José na delegacia

As vítimas já tinham registrado dois BOs contra José na delegacia

Três dias após a Lei Maria da Penha completar nove anos em vigência no Brasil, mais um homem foi preso em virtude de ameaças e vias de fato cometidas contra o sexo feminino. Desta vez as vítimas são uma mulher de 54 anos e uma jovem de 20 anos, respectivamente mãe e irmã do autor dos crimes, o ajudante de pedreiro José Vilmar Vera de Souza, 40.Sob a coordenação da delegada titular da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM/Anexo), Débora Mafra, a prisão do infrator ocorreu na segunda-feira, dia 10, por volta das 14h30, na Rua Curitiba, situada na Comunidade Nova Vitória, bairro Gilberto Mestrinho, zona Leste de Manaus.

De acordo com a autoridade policial, as vítimas já tinham registrado dois Boletins de Ocorrência (BOs) contra José na delegacia, ambos por violência doméstica. Por conta das denúncias, Débora Mafra delegou uma equipe para atuar no caso, a fim de fazer cumprir a lei e garantir a segurança das duas mulheres.

“Este caso mostra exatamente a situação delicada que algumas mulheres são expostas diante da violência de homens agressivos. Este homem agrediu e ameaçou por diversas vezes a mãe e irmã dele. Chegou, inclusive, a dizer que iria matá-las e que depois comeria o fígado delas”, argumentou Mafra.

Este caso mostra exatamente a situação delicada que algumas mulheres são expostas diante da violência de homens agressivos, salientou a delegada Débora Mafra

Este caso mostra exatamente a situação delicada que algumas mulheres são expostas diante da violência de homens agressivos, salientou a delegada Débora Mafra

A delegada recorda que em junho deste ano até um oficial de Justiça foi vítima do comportamento agressivo de José. “No dia em que o oficial foi até a residência do infrator levar o comunicado das medidas protetivas acabou sendo recebido com agressividade. Na ocasião, José chegou a carregar uma geladeira para jogar no funcionário público”, disse.

Diante de todo o histórico de violência de José, a delegada representou o mandado de prisão preventiva pelo crime de ameaça e vias de fato. O documento foi expedido no dia 15 de junho deste ano, pela juíza do 1º Juizado Especializado no Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Ana Lorena Teixeira Gazzineo.

“As constantes agressões acabaram fazendo com que as vítimas saíssem de casa. Em depoimento, José disse que pretendia ficar sozinho no imóvel. Com a prisão dele conseguimos que elas retornem ao lar e, principalmente, evitamos um homicídio”, concluiu a delegada.

Na delegacia, após a realização dos procedimentos cabíveis, José foi encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá ficar à disposição da Justiça.

Roberto Brasil