Agricultores de Caapiranga querem exportar o Cará

By -

Em entrevista exclusiva ao Blog da Floresta, a presidente da Associação de Desenvolvimento Rural dos Produtores do Membeca (ADERPROM), Marília Andrade de Freitas, destacou a demanda dos agricultores em exportar o cará a outros estados e irá solicitar apoio tanto da Prefeitura quanto do Governo do Estado do Amazonas para resolver esta dificuldade. 

“São 105 afiliados à Associação e trabalhamos em vários projetos, fornecemos produtos para a merenda escolar tanto para escolas municipais, estaduais e o CRAS através da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)”, salientou Marília. 

O lucro é para o atravessador

“250 toneladas de cara ao ano são produzidas em Caapiranga e a maior dificuldade é a logística, precisamos de transporte terrestre e fluvial para levar o produto ate Manacapuru e Manaus e no barco cobra R$ 10,00 a saca, assim o lucro que devia ser para o produtor, fica para o atravessador”, explicou a presidente da Aderprom. 

O escoamento da produção continua sendo a grande dificuldade, por isso a maior parte deste tubérculo fica no município para a população que compra a preços baixos e aproveita na culinária local, segundo Marília. “O cará que custa R$ 1,00 o quilo gera renda e movimenta a economia local porque fica dentro do município e queremos que aumente o seu valor a R$ 1,50”, salientou. 

Mulheres comparecem mais no trabalho

“Outros produtos como cebolinha, banana e outros além do cara como principal produto são prantados pelos agricultores, as mulheres comparecem mais no trabalho”, disse Marília Andrade. 

“Precisamos resolver o problema do transporte para escoar nossa produção, somos gratos ao Governador do Estado do Amazonas, Prof. Jose Melo que entregou maquinaria para o trabalho, agora queremos falar com o novo Prefeito de Caapiranga para facilitar um dos caminhões da Secretaria de Obras para o transporte do Cará e também com a Secretaria de Produção (Sepror) para facilitar um barco”, salientou a presidente da Aderprom. 

Produtores nunca foram convidados a participar do Festival do Cará

Segundo a presidente da Aderprom, os produtores nunca foram convidados a participar do Festival Folclórico do Cara, e foram estudantes da Ufam que apresentaram numa barraca o estudo do processo de produção deste tubérculo explicando a pesquisa desenvolvida nesta instituição. 

A Associação de Desenvolvimento Rural dos Produtores do Membeca (ADERPROM) está localizada na carreteira de Membeca, na estrada AM-032. 

O Cará ou Inhame são tubérculos com aparência muito semelhantes, ricas em amido e vitaminas do grupo B que aperfeiçoam seu potencial energéticos, de fácil digestão e apresentam inúmeras variedades, porém há diferenças quanto presença de fitoquímicos e propriedades terapêuticas e culinárias. 

Inhame e cara possuem propriedades terapêuticas que fazem parte da farmacopeias chinesa e ayurvedica. No Brasil temos registro de prescrições por médicos naturopatas e uso medicinal em comunidades de descendentes africanos. 

O  uso culinário é diversificado, podem ser usado em sopas, refogados, sucos, purês e até sobremesas e fazem parte da alimentação das regiões norte e nordeste do Brasil. (Mercedes Guzmán)

Roberto Brasil