ADS espera aumento no volume de comercialização na Central de Iranduba até este domingo

By -

Central-Abastecimento-Iranduba2A segunda semana de movimentação na Central de Abastecimento da Agricultura Familiar de Iranduba apresentou queda nas vendas. Mas a expectativa da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), responsável pela gestão do local, é que o volume de comercialização cresça até este domingo (21).

Segundo a administração da Central, até o domingo passado (14), participaram da feira 25 associações, 3 cooperativas e 16 produtores individuais, desse total, os que trabalharam nos boxes obtiveram lucro de aproximadamente R$ 5 mil reais, enquanto os produtores rurais, associações e cooperativas que expuseram nas pedras tiveram R$ 40.900 de  renda. Menos da metade do lucro obtido no primeiro fim de semana da Central.

Central-Abastecimento-Iranduba3O gestor responsável pela agricultura familiar da Central, Heitor Liberato, atribuiu alguns fatores decisivos para a queda nas vendas durante as primeiras semanas de funcionamento: a falta de mercadoria em grande quantidade e a entressafra. Segundo ele, alguns agricultores levaram muitos produtos para a inauguração e ficaram desabastecidos para os outros dias, o que foi agravado pelo fato de estarmos na entressafra. “Não está chovendo e a produção da terra-firme caiu e agora que a várzea está sendo semeada. Por isso os produtores tem dificuldade de trazer produção,”ressaltou Heitor.

Mas a expectativa é de que as vendas melhorem nesta semana, já que agricultores de alguns municípios começam a levar produtos. “No caso de Manicoré, que também sofreu com a enchente, tem um diferencial: seca mais rápido e por isso eles já estão saindo com produção. Hoje chegaram duas mil melancias, por exemplo,” afirmou o gestor.

Os produtores também estão ansiosos para que as vendas voltem a subir. A agricultora Adriana Rodrigues, do Ramal Nova Esperança, em Manacapuru, está satisfeita com o aumento de lucro em cima dos produtos, e espera um movimento maior. “Estou muito satisfeita, eu e os produtores da minha cooperativa porque a Central abriu portas para vendermos diretamente ao consumidor e esperamos continuar crescendo”, garantiu a produtora.

Roberto Brasil