Acordo garante troco no transporte público de Manaus

By -

Vereadores se reuniram com representantes da SMTU e Sinetram, nesta quinta-feira (16)

Uma reunião realizada, nesta quinta-feira (16), na Câmara Municipal de Manaus (CMM), junto com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano do Amazonas (Sinetram) e com a Comissão de Transporte e de Defesa do Consumidor da casa legislativa, assegurou a disponibilidade de moedas de R$ 0,10 para garantir o troco aos usuários do transporte público da cidade.

O diretor do Sinetram, Marco Aurélio Feitosa, afirmou que parte das moedas para o troco nos ônibus já está disponível junto às empresas, que se tornaram alvo de denúncias depois que a tarifa sofreu aumento para R$ 3,80. “Conseguimos junto ao Banco do Brasil, após muito esforço, uma certa quantidade de moedas para suprir essa necessidade”, mencionou.

A reunião discutiu o artigo 257, Inciso VI, da Lei Orgânica do Município de Manaus (Loman), que garante o troco aos usuários do transporte coletivo. Na oportunidade, ficou definido que as comissões técnicas de Transporte e de Defesa do Consumidor irão oficializar o Banco do Brasil que disponibilize mais moedas de R$ 0,10, atendendo a um pedido feito pelo Sinetram, durante o evento na casa legislativa. De acordo com o inciso VI, do Art. 257 da Loman, “receber o troco integral quando efetuar o pagamento com moeda mais próxima de cinco vezes o valor de uma passagem inteira, sendo o passageiro transportado gratuitamente em caso de inexistência do troco integral”.

E, para garantir o cumprimento da legislação, o presidente da Comissão de Transportes, Mobilidade Urbana e Obras Públicas da Câmara, vereador Rosivaldo Cordovil (PTN), afirmou que as comissões da casa estarão vigilantes, assim como a Superintendência Municipal de Transporte Urbano (SMTU) que se prontificou em fazer a fiscalização direta nessa questão. “A reunião foi necessária e bastante proveitosa. Temos a certeza de que, quando o usuário reclama, as autoridades competentes se mobilizam para fazer valer o direito garantido na Lei Orgânica do município de Manaus”, disse.

Por sua vez, o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, Álvaro Campelo (PP), disse que o colegiado já recebeu quase 150 denúncias e reclamações relacionadas à questão do troco. “Desde o reajuste da tarifa temos recebido denúncias de que o troco não vem sendo dado de forma correta. A Loman determina, no artigo 257, inciso VI, que o usuário tem direito, caso não haja troco, ser transportado gratuitamente. Hoje são obrigados a descer dos ônibus em pontos mais próximos ou nos terminais, não tendo o direito de ir até o destino final como determina lei”, disse ele, sobre as denúncias.

O vereador defendeu também o direito dos cobradores de ônibus de não serem penalizados por não terem o troco e deixar o usuário descer sem pagar. “A responsabilidade pela falta de troco é das empresas e não dos trabalhadores”, afirmou, recorrendo ao Artigo 267 da Loman, Inciso VII, que diz que “a cada início de jornada a empresa disponibilize o dinheiro necessário para que o cobrador tenha o troco”.

Roberto Brasil