Ações de proteção na Bacia do Tarumã-açu visam sensibilizar moradores para danos ambientais

By -

informa-blogdafloresta2014

Várias ações voltadas ao envolvimento das populações que vivem nas comunidades que têm influência direta sobre o problema do descarte de resíduos na Bacia do Rio Tarumã-açu serão colocadas em prática a partir desta sexta-feira, 10, pela Prefeitura de Manaus, por meio do Conselho Consultivo da APA (Área de Proteção Ambiental) Tarumã-Ponta Negra.

A programação será composta por palestras, exposições e atividades práticas de coleta de resíduos, que visam sensibilizar os moradores e chamar a atenção para os danos causados pelo lixo descartado nas ruas e igarapés que são tributários do Tarumã-açu.

A primeira área visitada será o bairro da Redenção, na zona Oeste, onde estão situadas as nascentes do igarapé do Gigante. A ação será realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), com apoio da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) e das lideranças comunitárias locais.

A partir das 8h haverá palestras, apresentação de vídeo e distribuição de mudas na Escola Municipal São João, ao lado do posto de saúde e da Associação Comunitária da Redenção. A programação se estenderá até o dia 29/06, com ações de sensibilização em seis localidades (Redenção e conjunto Augusto Montenegro, dia 17/06; Jardim de Versalles, dia 18/06; avenida do Turismo, 21/06; Marina do Davi, 24/06; e comunidade Nova Esperança, na zona Rural de Manaus, 29/06).

“A ideia de realizar a atividade partiu do próprio conselho, a partir da situação de acúmulo de resíduos constatada durante o último período de vazante dos rios no leito do igarapé do Gigante”, explica a técnica da Semmas, Angeline Ugarte, que preside o conselho.

A ação do homem é a principal responsável pela degradação da bacia do Tarumã-açu, de extrema importância para a cidade. “Essa imensa quantidade de resíduos, especialmente os domésticos que aparecem quando o rio desce e o lixo aflora, demonstra a imensa falta de conhecimento sobre a importância dos cursos d’água por parte da população”, afirma Angeline.

O lixo geralmente fica depositado no leito dos igarapés que formam a bacia, principalmente no igarapé do Gigante, onde se encontram as cachoeiras Alta e Baixa do Tarumã. “Essa é uma área de importância ecológica e de beleza cênica, que sofre com efluentes de empresas instaladas na região e os resíduos domésticos que são os agentes poluentes mais visíveis”, explica a técnica.

A APA Tarumã-Ponta Negra foi decretada em 2008 e é a maior unidade de conservação do município com aproximadamente 23 mil hectares.

O objetivo da programação é chamar a atenção das comunidades, desde as situadas nas proximidades das nascentes do igarapé do Gigante, que ficam no bairro da Redenção, até as localizadas nas margens do igarapé do Tiú, na zona Rural de Manaus. “Poderíamos tratar o problema realizando apenas uma ação de coleta de resíduos na foz, mas preferimos estabelecer uma programação e enfrentar o problema na sua origem, debatendo com as populações residentes nas áreas do entorno, que levam a essa situação”, afirma Ugarte.

A ação contará com parceiros como o flutuante SUP Amazonas, Hotel Tropical, Ocip Novos Caminhos e a Organização das Cooperativas do Brasil (OCB). No dia 18, no conjunto Jardim de Versalles, as atividades ocorrerão às margens do igarapé do Gigante, com uma grande mobilização para a coleta de resíduos. “Esta é uma forma concreta de atuação na proteção de igarapés, com base na educação ambiental e numa visão maior de que a gestão ambiental deve ser compartilhada com as comunidades”, disse.

Mario Dantas