Ações de atendimento promovidas pela FMT detectam 28 novos casos de HIV positivo

By -

aids-campanha-ter-e-nao-saberAs atividades especiais de atendimento realizadas pela Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), como parte da campanha #boratestar, terminaram nesta sexta-feira (4), com um saldo de 1.044 testes rápidos para o diagnóstico do HIV realizados e a detecção de 28 novos casos da doença. A diretora-presidente da FMT, Graça Alecrim, frisa que esses dados incluem o atendimento realizado no dia 1º, no ambulatório do hospital, e nos três dias em que a unidade móvel da instituição ficou posicionada ao lado do Colégio Militar de Manaus, no centro da cidade. A campanha #boratestar foi realizada pela Secretaria Estadual de Saúde (Susam), em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra a Aids (1º de dezembro).

Graça Alecrim diz que a campanha teve uma boa resposta da população, que atendeu ao chamado para fazer o teste que detecta a presença do vírus da Aids no organismo. “A Aids ainda não tem cura, mas tem tratamento, e o principal objetivo das campanhas de conscientização é reforçar, além da importância da prevenção, também o fato de que é essencial, para quebrar a cadeia de transmissão da doença, que as pessoas infectadas com o vírus HIV comecem seu tratamento e não o abandonem”, frisou a médica infectologista.

As atividades especiais de atendimento da FMT iniciaram no sábado (28), com uma ação levada ao calçadão da praia da Ponta Negra, na zona Oeste, onde ocorreu também a solenidade de abertura da campanha, com a presença do secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza. No local, 260 procuram o serviço de testagem e quatro tiveram resultado positivo. Na terça-feira, durante a ação no ambulatório da FMT, 203 pessoas realizaram o teste rápido, com 14 resultados positivos. Na quarta, quinta e nesta sexta-feira, o atendimento da unidade móvel da FMT, no centro da cidade, resultou na realização de 581 testes, com 10 casos positivos.

A coordenadora estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, infectologista Silvana Lima, explica que todos os casos positivos passaram por uma primeira consulta de aconselhamento, no mesmo local do exame, e foram encaminhados para as unidades especializadas da rede pública de saúde, para exames complementares e início do tratamento. “Hoje, como se sabe, o protocolo do Ministério da Saúde prevê o tratamento de todos os casos positivos, independentemente de haver sintomas da Aids”, frisou Silvana.

A coordenadora destaca que o teste rápido continua disponível nas unidades de saúde, independentemente das campanhas de conscientização. Na capital, o teste é ofertado na FMT e na Fundação Alfredo da Matta, que são unidades de referência da rede estadual de saúde e nas Policlínicas da Prefeitura: José Antonio da Silva (no Monte das Oliveiras, zona Norte), Antonio Reis (no São Lázaro, zona Sul), Comte Telles (no São José, zona Leste) e Raimundo Franco de Sá (Nova Esperança, zona Oeste).

Roberto Brasil