Acnur elogia trabalho da Prefeitura de Manaus pelo acolhimento aos venezuelanos

By -

Representantes do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) estiveram reunidos com o prefeito Arthur Virgílio Neto, no Palácio Rio Branco, no Centro, na tarde desta quinta-feira, 31/8, para elogiar o Plano de Ação para Atendimentos aos Indígenas Warao.

Na ocasião, foi feita uma solicitação à Prefeitura de Manaus para que os funcionários da  Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), responsáveis pela elaboração do plano, participem de uma formação no Estado de Roraima, para compartilhar o conhecimento adquirido, no atendimento aos indígenas venezuelanos.

O prefeito Arthur Neto lembrou que a elaboração do plano de ação humanitária foi elaborado para amparar os refugiados venezuelanos, da melhor forma possível e contou com a maturidade de toda a equipe da Semmasdh.

“Eles ficaram muito impressionados com o que encontraram durante a visita e qualificaram o nosso trabalho como referência, para outros lugares que enfrentam essa crise humanitária dos refugiados venezuelanos”, destacou o prefeito.

A reunião também contou com a participação da presidente do Fundo Manaus Solidária (FMS), Elisabeth Valeiko, e da vice-presidente da entidade Mônica Santaella.

Modelo

A representante da Acnur no Brasil, Isabel Marquez, reafirmou que após visitar o espaço de acolhimento provisório, para os indígenas venezuelanos da etnia warao, localizado na avenida Tarumã, Centro, teve a certeza de que esse trabalho é uma grande referência para qualquer lugar que receba refugiados.

“O trabalho que está sendo feito pela Prefeitura de Manaus é um modelo a ser replicado em qualquer outro lugar, onde seja necessário esse tipo de acolhimento temporário. Por isso convidamos alguns servidores para irem a Roraima, por conta da Acnur, compartilhar conhecimento”, enfatizou.

A subsecretária operacional da Semmasdh, Jane Mara Moraes, disse que a equipe recebeu com satisfação o convite para levar a experiência adquirida em Manaus, para o Estado de Roraima.

“Tivemos todo um processo de elaboração do plano com uma ampla discussão coletiva com o Conselho Municipal de Assistência Social. Esse reconhecimento é fruto do esforço que cada um da Semmasdh colocou para que pudéssemos atender durante essa ação humanitária”, salientou.

Roberto Brasil