Ação conjunta resulta no fechamento de fábrica clandestina na zona Oeste

By -
A fábrica clandestina já havia sido interditada pela Semmas

A fábrica clandestina já havia sido interditada pela Semmas

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado titular da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), Samir Freire, deflagrou nesta segunda-feira, dia 19, ação policial que resultou no encerramento das atividades de uma fábrica clandestina de produção de antenas para empresas de telefonia móvel localizada na Rua Leopoldo Neves, bairro Santo Antônio, zona Oeste de Manaus.

De acordo com a autoridade policial, a ação contou com a participação de servidores da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e de peritos técnicos do Instituto de Criminalística (IC). Conforme Samir Freire, eles chegaram até a empresa clandestina após o recebimento de denúncias anônimas, relatando o forte odor de tinta no local, bem como o constante barulho ocasionado pelo uso de serra elétrica por trabalhadores da fábrica.

“As equipes foram até o lugar indicado e constataram a veracidade das informações. Apreendemos no terreno uma lixadeira e uma serra policorte. A oficina estava funcionando clandestinamente e, inclusive, já havia sido interditada por funcionários da Semmas anteriormente. Hoje fechamos a fábrica e encerramos as atividades da empresa”, declarou Samir Freire.

O titular da Dema informou que o proprietário do estabelecimento, Júlio de Souza Franco Neto, foi indiciado por poluição sonora e poluição atmosférica. Em seguida ele foi liberado para responder pelo delito em liberdade. A equipe da Semmas arbitrou multa não divulgada ao infrator.

Roberto Brasil