Abdala Fraxe quer revogação de medida do MAPA que prejudica pescadores de Tabatinga

By -
Dep. Abdala Fraxe

Dep. Abdala Fraxe

O deputado estadual Abdala Fraxe (PTN) criticou, durante a Sessão Ordinária desta quinta-feira (22), da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), medida tomada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) determinando que a Receita Federal (RF) não permita que pescadores do município de Tabatinga (distante 1108 km de Manaus) realizem a venda de peixe tratado a empresas da Colômbia e Peru. A determinação é que o pescado seja comercializado in natura, ou seja, com as vísceras e cabeça.

“O MAPA manda ofício para a Receita Federal no município de Tabatinga no sentido de brecar a venda desse pescado, sob o argumento de que está sendo vendido sem as normas que o ministério exige. E exigindo também que a documentação toda seja feita como se fosse uma exportação normal e aí você já pode imaginar aqueles contêineres de documentos, de burocracia atravancando esse pequeno negócio”, lamentou.

O parlamentar lembrou que o comércio realizado com as empresas colombianas e peruanas garantem o sustento de cerca de 20 mil pescadores da região do Médio e Alto Solimões e que as novas regras irão dificultar essa negociação e também a conservação do produto. “Qualquer pessoa em sã consciência sabe que um peixe, a partir do momento em que é pescado, se não tiver as vísceras retiradas, depois de umas 3 horas ele vai apodrecer”, observou.

Abdala Fraxe contou ainda ter buscado contato com a superintendência do MAPA no Amazonas, na última quarta-feira (21), mas que não obteve retorno. “A partir de hoje, esse superintendente do MAPA vai ser lembrado por mim nessa tribuna diariamente, até que essa situação descabida com o povo do Alto e Médio Solimões seja resolvida”, finalizou.

Roberto Brasil