David Almeida participa de corrida para incentivar doação de sangue

By -

Apaixonado e adepto das corridas pedestres, o governador do Amazonas, David Almeida, novamente calçou o tênis e participou da 3ª edição da Corrida Zé Gotinha na Floresta, na manhã desta quinta-feira, 15 de junho, no Círculo Militar de Manaus (Cirmman), na Chapada, zona Centro-Sul.  Em sua terceira edição, a corrida, que tem apoio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), incentiva a doação de sangue. 

“Participo das atividades de corrida para melhorar a qualidade de vida e participo, também, dos projetos de doação de sangue. É importante não só incentivar, mas também participar. Como sou adepto das duas coisas estou aqui nesse feriado, correndo, participando e incentivando as pessoas a praticarem esportes”, disse o governador, que completou a prova ao lado do ‘pelotão de elite’ e vestindo a camisa branca e vermelha do evento. 

“Correr uma prova mista é mais dificultoso, pois não é um terreno contínuo e o atleta sem dúvida alguma corre risco de lesão. Com cautela e cuidado a pessoa conclui a prova, como nós fizemos, sem nos machucar”, comentou David.

O percurso misto de 7Km, sendo 2km na pista e 5 km na trilha dentro da floresta, envolveu 700 atletas, entre eles o ex-jogador e ex-treinador de futebol, que defendeu o Nacional, Paulo Galvão, 67 anos, que também se tornou adeptos da vida saudável após abandonar os campos. 

Morando em Pernambuco, Galvão veio até Manaus para organizar uma prova de ultramaratona. Enquanto estuda os melhores traçados para a disputa, o ex-treinador, campeão Amazonense vestindo o manto azulino em 2002, aproveitou para abraçar a causa. 

“Faço parte de um grupo de corrida, um consórcio, que nos ajuda a realizar o nosso sonho de correr em Manaus e nadar no Rio Negro. Cheguei na última segunda-feira (12) e me deparo com uma corrida assim, que valoriza a saúde e a doação de sangue, é muito gratificante”, contou.

Organizado pelo ‘Zé Gotinha’, figura icônica das corridas no Amazonas – sempre com a cabeça em formato de gota de sangue – vivido pelo funcionário público Sérgio Silva, a disputa desta vez não contou com o tradicional pódio. Tudo para simbolizar a vida e celebrar o Dia Mundial do Doador de Sangue, ocorrido na última quarta-feira (14). 

“Os verdadeiros campeões são os que vieram e participaram da corrida. Eu só tenho a agradecer a todos que participaram, que são atletas e doadores, e aos que nos apoiaram. Essas pessoas realmente acreditam que a doação de sangue pode salvar vidas, o sangue é o combustível do corpo humano. Assim como o carro precisa de gasolina para se locomover, nós precisamos de sangue para viver”, contou Sérgio. 

Outro fator solidário da prova foram as doações de alimentos. Cada corredor teve que doar 2kg de alimentos, o que rendeu meia tonelada de mantimentos arrecadados. “Estaremos doando essa meia tonelada de alimentos para famílias carentes, pessoas com câncer e alguns ribeirinhos”, declarou. 

Com o primeiro lugar simbólico, o maranhense Juscelino Guedes, 42, que vive há 16 anos na capital, conquistou pela segunda vez a corrida. “Venci ano passado e agora de novo. Corro para colaborar com o evento que tem uma causa tão importante. E é isso aí que nos move”, contou o vencedor.

Mario Dantas